segunda-feira, 8 de novembro de 2010

As pressões inglesas pelo fim do tráfico

    Até o século XVIII, a Inglaterra obteve imensos lucros com o comércio internacional de escravos. A situaçao mudou depois de 1807, quando a Parlamento britânico aboliu no tráfico de escravos para as colônias inglesas. Em 1833, a escravidão foi abolida em todos os domínios britânicos. De país escravista, a Inglaterra se transformou no maior oponente do tráfico internacional de escravos. A política inglesa de combate ao escravismo tem três explicações principais:
  • A Revolução Industrial inglesa resultou no aumento extraordinário da produção de mercadorias. Com o fim do tráfico nas colônias, os proprietários poderiam investir na obtenção de produtos  ingleses os recursos que antes eram aplicados na compra de escravos.
  • Nos domínios britânicos no sul da África, a venda de negros para os traficantes afetava as atividades aconômicas locais, que ficavam carentes de mão-de-obra.
  • Nas Antilhas Britânicas, o fim do tráfico obrigou os proprietários a empregar assalariados nos engenhos de açúcar. A consequencia foi que o açúcar antilhano tornou-se mais caro que o brasileiro, que continuou sendo produzido por escravos.
   As pressões inglesas para abolir o tráfico começaram em 1810, nos tratados assinados com D. João, e continuaram nos anos seguintes, enfrentando forte resistência no Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário